top of page
Buscar
  • cistopilonidalgrup3

O que há de novo no tratamento para o Cisto Pilonidal?

Há mais de 10 anos a evolução no tratamento para o cisto pilonidal já é uma realidade. As técnicas, minimamente invasivas, oferecem resultados tão positivos quanto a cirurgia convencional, mas com muito mais conforto aos pacientes.

O cisto pilonidal é uma doença relativamente comum em adolescentes e adultos jovens, geralmente observada dos 15 aos 30 anos de idade, acometendo ambos os sexos, porém notóriamente predominante no sexo masculino em 80% dos casos. Trata-se de uma inflamação crônica, localizada na região do cóccix. É bastante incômoda e dolorosa por ser com tratamento cirúrgico.


As causas da doença ainda são motivo de controvérsia, mas dentre as teorias mais aceitas estão atrito no local, inversão do crescimento do pelo e microtraumas, que levariam à inflamação crônica e formação dos cistos e trajetos fistulosos. Além de outros fatores como obesidade, problemas hormonais, tabagismo... Com o avanço tecnológico e desenvolvimento de novas técnicas e materiais, houve um grande avanço na medicina, propiciando o surgimento da cirurgia minimamente invasiva para o tratamento de diversas doenças.


A coloproctologia também apresentou grandes avanços nos últimos anos. Houve uma melhora na técnica e no resultado do tratamento de hemorroidas, fístula anal, fissura e cisto pilonidal. Surgiram procedimentos mais eficazes e efetivos que podem ser realizados com alta no mesmo dia. Causam menor trauma cirúrgico, diminuindo a dor e risco de complicações no pós-operatório e propiciam uma recuperação mais rápida com retorno precoce ao trabalho. São procedimentos que tratam o paciente com menos trauma, sem necessidade de curativos por longo prazo e mais conforto.


Duas técnicas estão desde então ganhando destaques - O Laser de Dioso e o EPSiT.


E.P.S.I.T. – Endoscopic Pilonidal Sinus Treatment, é qualificada por apresentar melhor resultado estético e menor tempo de recuperação, o que garante ao paciente um retorno mais rápido às suas atividades habituais. Procedimentos cirúrgicos para o tratamento de cisto pilonidal podem ser executados com o uso da técnica E.P.S.I.T, que é realizada com o auxílio de um instrumento ótico fino (fistuloscópio), conectado a um sistema de vídeo e irrigação com solução hipertônica, o que permite a visualização total da fístula. A retirada do conteúdo é feita através de uma pinça de apreensão de corpos estranhos, sendo que o arcabouço (tecido de granulação) desta cavidade deve ser destruído por cauterização. Por fim, o tecido cauterizado é removido através do atrito de uma escova de citologia e o orifício é ampliado para facilitar a drenagem e cicatrização. Como resultado, a intervenção cirúrgica apresenta feridas pós-operatórias reduzidas (cerca de 2cm) e com menor período de cicatrização de aproximadamente 3 semanas.



Laser de Diodo - Neste caso, através do fibra do laser é possível promover o estímulo de cicatrização potente do cisto, promovendo seu fechamento sem necessidade de grandes cortes e feridas abertas. Este procedimento pode ser realizado no bloco cirúrgico e também no consultório, dependendo do tamanho e da extensão do cisto. Costuma ser uma cirurgia rápida, ambulatorial e que apresenta uma recuperação pós-operatória confortável. Com o tratamento a laser, o processo de cicatrização é muito mais rápido.

Em alguns casos de cistos menores, ele pode durar apenas 10 dias.

Os curativos também são mais simples, e podem ser feitos em casa.




Vale ressaltar que a combinação das duas técnicas também é possível! Procure pelo coloproctologista habilitado em tratamento minimamente invasivo e faça a sua avaliação para saber se seu caso é indicado.


Você já tinha ouvido falar nessas técnicas? Qual sua dúvida? Entre em contato conosco!


38 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page